Notícias em Destaque:

Últimas Notícias

  • Home
  • Últimas Notícias
Policiais penais denunciam suposta negligência em processo de vacinação
Postado em: 06 Abril 2021

Policiais penais denunciam suposta negligência em processo de vacinação

Vinícius Ribeiro

Os policiais penais e os demais servidores penitenciários de Salvador denunciam uma suposta negligência no processo de vacinação da categoria contra a Covid-19. Por meio de nota pública, divulgada na tarde desta terça-feira (6), o Sindicato dos Servidores da Polícia Penal do Estado da Bahia (Sinsppeb) repudiou a conduta da Superintendência de Gestão Prisional (SGP) - da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização do Estado da Bahia (Seap-BA).

Segundo a entidade sindical, por três vezes a pasta enviou dados incorretos dos servidores para o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (Coe), apontando monitores de ressocialização e cargos como policiais penais.  

"Como a Secretaria não tem esses dados corretos e comete o mesmo erro pela terceira vez? É inadmissível que uma Secretaria que possui apenas cerca de 1.600 servidores, dentre os quais 1.300 são policiais penais, não consiga elaborar uma listagem adequada, enquanto que, a Polícia Militar que dispõe de mais de 40 mil policiais já enviou a lista e os seus prepostos já estão sendo vacinados", frisou o Sinsppeb.

Lista correta

De acordo com a representação da categoria, o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública obteve a listagem correta apenas nesta terça-feira (6). Segundo informado, os primeiros a serem imunizados serão os policiais penais acima de 50 anos.

Entretanto, o sindicato revela preocupação com a disponibilidade da vacina e o monitoramento do processo de imunização. "A vacinação de servidores sem o devido cadastro será objeto de apuração, pois o Ministério Público está fiscalizando todo o processo de imunização para evitar possíveis fraudes", alerta a entidade. 

"Grande esperança"

No dia 30 de março, o governador Rui Costa informou que os servidores penitenciários seriam vacinados. À época, o secretário Nestor Duarte declarou, por meio de nota publicada no site da Seap, que "desde o início da pandemia nós temos trabalhado, incansavelmente, pelo Sistema Penitenciário da Bahia, adotando todos os arranjos e protocolos para minimizar a contaminação entre os nossos servidores e a população carcerária. A vacina aos servidores penitenciários, em especial, aos policiais penais, chega como uma grande esperança".

O RadarBa solicitou posicionamento da Seap sobre a suposta negligência, mas ainda não tivemos retorno da assessoria. 

 

Foto: Reprodução/TV Bahia